A GEOGRAFIA DOS ESTADOS ALEMÃES


PORQUE “ALEMÃES”?
 A GEOGRAFIA DOS ESTADOS ALEMÃES NA ÉPOCA DA EMIGRAÇÃO
Originários do emaranhado geopolítico, consideramos alemães os imigrantes que pertenciam à uma nação alemã, unida pela língua, cultura e pela história comum em detrimento do Estado político-administrativo de sua procedência.
A identidade alemã é dada pelo conceito de "Kultur", com todos os seus significados correlatos, que se calca em fatos intelectuais, artísticos e religiosos, refletindo a consciência da nação. Daí porque consideramos alemães os imigrantes que faziam uso da língua alemã pelo direito pelo sangue, direito pela herança. Por esse conceito classifica-se de "alemão" independente do País/Estado onde tenha nascido.Confederação dos Estados Alemães (1815-1866) Também chamada de Liga Alemã - cuja unidade consistia, essencialmente, no uso do idioma alemão - era, politicamente, muito diversificada: 35 estados independentes e quatro cidades livres. Consistia numa união pouco coesa de estados soberanos. Além da Áustria (até 1866), dela participaram os reinos da Prússia, Baviera, Württemberg, Hannover (sob o domínio do rei da Inglaterra) e Saxônia; os Grão-Ducados Mecklemburg-Schwering-Strelitz, Oldenburg, Hesse-Darmstadt, Saxe-Weimar e Baden; o eleitorado de Hesse-Kassel; os ducados de Brunswick, Nassau, Anhalt-Dessau-Bernburg-Göthen, Saxe-Koburg-Gotha, Saxen-Meiningen-Altenburg-Hildburghausen e Holstein (sob o domínio do rei da Dinamarca); parte dos Países-Baixos (sob a jurisdição do Gran-Duque de Luxemburgo); as quatro cidades-livres de Frankfurt/Meno, Bremen, Hamburgo e Lübeck, somados ainda de um grande número de pequenos principados independentes.
"As primeiras, originais, e verdadeiramente naturais, fronteiras dos estados são, sem qualquer sombra de dúvida, as suas fronteiras interiores. Aqueles que partilham do mesmo idioma estão ligados uns aos outros por um conjunto de laços invisíveis da própria natureza, muito antes de a arte humana ter tido início; entendem-se entre eles e têm o poder de continuarem a fazerem-se entender de forma cada vez mais clara; pertencem uns aos outros, e são, por natureza, um todo inseparável".
"Uma língua comum pode ter sido base para uma nação mas, seria necessário algo mais do que semelhanças linguísticas para unificar centenas de políticas. A experiência dos estados de língua alemã da Europa Central durante os anos da hegemonia francesa, contribuiu para a percepção de uma causa comum para expulsar o invasor francês, e tomar o controlo sobre as suas próprias terras".

MAPA DA "ALEMANHA" EM 1856/58 
QUANDO ACONTECEU A EMIGRAÇÃO PARA JUIZ DE FORA
Império Austro-Húngaro (1867-1918) 
Posteriormente, foi criado o Império Austro-Húngaro que era constituído pela Áustria (grande parte de etnia alemã) e pela Hungria (integrada pelos sérvios, croatas, eslovacos, eslovenos, rutenos e, sobretudo, tchecos - Boêmia e Morávia - e pelos poloneses - Galícia). Ambos os países encontravam-se unidos pela instituição monárquica, representada por Francisco José I, ao mesmo tempo imperador da Áustria e rei da Hungria. Cada país responsabilizava-se pela respectiva administração interna; a fusão, entretanto, configurava-se em questões relativas à política externa, à economia e à guerra que eram regidas por ministérios comuns.
O Tratado de Versalhes (1919
Tratado de paz assinado pelas potências europeias que encerrou a Primeira Guerra Mundial. Para a Alemanha ele foi imposto. Após longa  negociação em Paris. O principal ponto do tratado determinava que a Alemanha aceitasse todas as responsabilidades por causar a guerra e que fizesse reparações a algumas nações. 
Os termos impostos à Alemanha incluíam a perda de uma parte de seu território para outros estados fronteiriços, e de suas colônias, restrições ao seu efetivo militar e uma enorme indenização pelos prejuízos causados a outros países durante a guerra. Aceitaram, também o reconhecimento a independência da Áustria. O tratado foi assinado em 28 de Junho de 1919 e ratificado pela Liga das Nações em 10 de Janeiro de 1920.

República de Weimar- Deutsches Reich
Foi a Alemanha após a Primeira Guerra Mundial, em 1919, e que durou até ao início do regime nazista, em 1933, tendo como sistema de governo uma democracia representativa semi-presidencial. O Presidente da República nomeava um chanceler que era responsável pelo poder executivo. Quanto ao poder legislativo, era constituído por um parlamento federal (Reichstag) e por parlamentos estaduais (Landtag). O nome oficial da Alemanha continuou, sob a República, a ser Deutsches Reich (Império Alemão). Este período tem o nome de Weimar pois foi nesta cidade Alemanha central (Turíngia) que reuniu desde 6 de fevereiro até 11 de Agosto de 1919, data da aprovação da nova constituição, a assembleia nacional constituinte da República.

Alemanha  Nazista  ou o Terceiro Reich
Ocorreu entre os anos de 1933 e 1945, quando o governo alemão era controlado  pelo Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (NSDAP) sobre o controle de Adolf Hitler. Sob esse governo a Alemanha foi transformada em um Estado totalitário fascista que controlava quase todos os aspectos da vida. A Alemanha nazista deixou de existir após as forças aliadas derrotarem os alemães em maio de 1945, encerrando a Segunda Guerra Mundial na Europa.
Nesse período, até 1943, a Alemanha nazista expandiu novamente seu mapa territorial com anexação de territórios.

ALEMANHA 1945 a 1989
Após a segunda guerra o pais perdeu os territórios anexados e mais algmas áreas e ainda foi dividido em dois: Alemanha Ocidental e Alemanha Oriental, dominada pelos comunistas. 


ALEMANHA 1945 A ALEMANHA ATUAL
Até que a partir da queda do muro de Berlim em 1989, pelo fracasso do comunismo, as duas Alemanhas voltaram a ser só uma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário